Polignano a Mare, na região de Puglia

No salto da bota da Itália, Polignano a Mare é a cidade onde nasceu Domenico Modugno, “Mr. Volare”, o autor da famosa canção Nel blu dipinto di blu. Gilberto Gil foi aqui em 2008, para a festa dos 50 anos de Volare.

Polignano a Mare
Polignano a Mare (foto Carlo Pelagalli)

Cidade antiguíssima (VI – V milénio a.C.), a 30 km de Bari, surge a pique sobre o mar, à beira de uma espetacular falésia de 20 metros de altura, na qual se abrem numerosas e amplas grutas.

Alguns estudiosos acham que a cidade foi fundada por Júlio César, depois de ter destruído o castelo construído pelo cônsul Caio Mário, mas a história de Polignano é mais certa após o ano Mil: entre os séculos XI e XII, de fato, tornou-se um condado normano, depois marquesado e, em seguida, feudo de várias famílias italianas até o século XIX.

Lama_Monachile_Polignano
Lama Monachile (foto Carlo Pelagalli)

Passeando pelas ruas estreitas do centro histórico, entre lojas de artesanato e boates, podem-se admirar pequenas casas brancas e lindas varandas, de onde é possível apreciar um panorama único sobre o penhasco e as suas amplas e profundas grutas.

Polignano-a-mare
Piazza Vittorio Emanuele em Polignano (foto rete.comuni-italiani.it)

A maior e mais conhecida das 80 grutas naturais que perfuram a costa é a espetacular Grotta Palazzese.

Aqui mesmo, nesta gruta, fica o Hotel Ristorante Grotta Palazzese que, no passado, foi um salão de festas onde os Senhores feudais hospedavam amigos e personalidades de passagem. Segundo uma lenda, Joana, rainha da Hungria, se refugiou aqui com o seu pagem preferido; viajantes franceses e britânicos incluíram Grotta Palazzese em seus roteiros no Reino de Nápoles e contaram, especialmente no século XVII, a beleza e majestade deste lugar.

Puglia_restaurante
O restaurante Grotta Palazzese (foto: naturamediterraneo.com)

O Hotel Ristorante Grotta Palazzese, localizado a 24 m acima do nível do mar, apresenta-se cheio de charme. Em 1730 o Duque Leto de Nápoles, Senhor de Polignano, decidiu utilizar a gruta como sala para ocasiões importantes e, desde então, ela se tornou ponto de encontro da alta sociedade.

A gruta foi abandonada depois da Revolução Francesa e da abolição do feudalismo, mas a cada ano, durante os meses de verão, de Maio a Setembro, volta a nova vida.

O restaurante, hoje utilizado também para banquetes de casamentos, tem piso em madeira, uma aboboda natural de pedra calcária e uma vista directa para o maravilhoso mar verde-azul. Iluminado por luzes baixas e equipado com móveis feitos só com materiais naturais, para doar à estrutura aquela harmonia com o ambiente ao redor, o restaurante está localizado logo abaixo do hotel. Do penhasco debruçam-se 20 quartos com vista para o Mar Adriático e para o centro histórico de Polignano.

Abadia_Sao_Vito_Polignano
A Abadia de São Vito (foto borgobianco.it)

Locais a visitar nas redondezas

Abadia de San Vito – A três quilômetros do centro histórico, ao longo da rua para Mola di Bari, chega-se a San Vito, uma pequena aldeia costeira de origem grega. Provavelmente é aqui que temos que localizar a antiga estação de parada para os cavalos, chamada Turris Caesaris (Torre de César). Mesmo aqui, hoje, está localizado o complexo religioso formado pela igreja beneditina e abadia de San Vito (IX-X séculos).

Lama Monachile – Talvez a paisagem mais deslumbrante do país, Lama Monachile foi um antigo porto comercial durante o governo da República de Veneza, no século XV.

Arco Marchesale – Unico acesso à cidade até o século XVIII, agora é o ingresso para o centro histórico de Polignano, freqüentado por turistas e visitantes o ano todo.

Via Traiana – Ligação entre a antiga Roma e o porto de Brindisi, a Via Traiana tornou Polignano um importante centro de comércio entre o mundo latino e o oriental. Hoje ainda viável, é especialmente agradável à noite, quando centenas de luzes iluminam o caminho.

Chiesa Matrice – É o monumento histórico mais importante da cidade, catedral até 1818. Dedicada a Santa Maria da Assunção, em 1295, a igreja surgiu por cima de um antigo templo pagão.

Scoglio dell’Eremita – Oficialmente chamado “Isolotto San Paolo” (“isolotto” significa pequena ilha), o rochedo (“scoglio” em italiano) é o emblema da cidade. Existem muitas lendas contadas sobre ele e é de verdade maravilhoso, sobretudo de madrugada e ao pôr do sol.

Museo Comunale d’Arte Contemporanea “Pino Pascali” – Foi inaugurado no dia 1 de Junho de 2012 e fica aberto diariamente; guarda as obras do artista de fama internacional Pino Pascali, nativo de Polignano, e as de numerosos jovens artistas da Puglia.

Polignano_3
O centro de Polignano (foto Carlo Pelagalli)

Eventos

Entre os muitos eventos em Polignano, queria mencionar três:

Dias 14-15-16 de Junho: festa em honra do padroeiro da cidade San Vito, com fogos de artifício e uma procissão pelo mar, do pequeno porto de San Vito até Cala Paura, e pelas ruas da cidade.

Dia 23 de Setembro: procissão em honra de São Pio de Pietrelcina.

Mareviglioso: feira do peixe e palio do mar. É a celebração das excelências  da região da Puglia, dos pratos e da eno-gastronomia local.

Onde comer

Leo’s Braceria, Piazza Caduti di Via Fani, 4. Preço: Euro 15 – 30; churrasco e culinária biológica.

MINT cucina fresca, Via San Benedetto, 32. Preço: Euro 20 – 40; cozinha vegetariana, orgânica, bistrô.

Se quiserem saborear o melhor sorvete da cidade, têm que ir à antiga sorveteria Mario Campanella, Il Super Mago del Gelo, Piazza Giuseppe Garibaldi, 22. Além do delicioso sorvete, acharão também gelados de fruta fresca, um café especial preparado com café, creme de leite e raspas de limão, e o Amaretto del Super Mago, um licor feito com amêndoas.

Polignano_a_mare3
(foto Carlo Pelagalli)

Como chegar a Polignano a Mare

De avião: Aeroporto Civil Giovanni Paolo II de Bari, ou Aeroporto Civil de Brindisi.

De trem: chegar a Estação Ferroviária Bari Centrale e prosseguir de trens locais Trenitalia ou ViRail.

De carro:

A14 Bologna – Ancona, saída Bari Nord.

A1 Firenze-Roma > A2 Roma – Napoli > A16 Napoli – Canosa > A14 Canosa – Bari, saída Bari Nord.

De Bari Nord, tangenziale direção Brindisi. Sigam a estrada “SS16 – E55”, depois de cerca de 30 km acharão a saída para Polignano a Mare.

 

 

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *