Matera: de volta à pré-história

A cidade velha foi escavada na rocha, e as grutas naturais foram as primeiras casas dos povos que viveram na pré-história: estas características únicas e sugestivas a tornam uma das cidades mais admiradas na Itália – e, de fato, do mundo.

Pic4
O conjunto arquitetônico conhecido como Sassi (foto http://clothespeggs.blogspot.it)

Matera é uma cidade arqueológica menos famosa de Pompéia ou Agrigento, mas é um lugar mágico.

As cavernas são esculpidas uma acima da outra, de uma maneira aparentemente caótica, quase um labirinto de casas: o teto de uma casa pode acabar sendo uma escada, um jardim, uma estrada ou o chão de outra casa.

MateraParete
As casas na colina (foto http://clothespeggs.blogspot.it)

Na cidade velha, chamadas Sassi (pedras), você vai andando sobre os tetos das casas, no meio das chaminés que brotam do chão.

2StaMariaDeIdris
Igreja Santa Maria de Idris

Muitas vezes é impossível distinguir entre as formações rochosas naturais e a arquitetura criada pelos antigos moradores. Há também igrejas bizantinas escavadas na rocha e decoradas com pinturas religiosas corroídas pelo tempo.

Matera foi construída ao longo dos séculos, dum jeito chamado hoje de “arquitetura espontânea”. A cidade se desenvolveu seguindo a disposição do terreno, e acabou harmonizando-se com o ambiente natural, revelando diversos estilos sofisticados e elegantes. Os visitantes que sobem até à cidade ficam impressionados pela paisagem surreal, como si chegassem num lugar de outro planeta.

MateraAoEntardecer
Sassi ao entardecer (foto http://clothespeggs.blogspot.it)

Muitos fatores levaram à modificação da fácies da cidade, que começou no final do século XVIII: o aumento rápido da população, uma série de crises agrícolas, a construção de residências mais modernas na periferia, o que tornou mais difícil fornecer a água para o velho centro.

Poços esgotados e antigas cisternas foram usados para expandir o espaço habitável, ou até transformados em casas. Devido à conformação irregular do terreno e à sua topografia bastante acidentada, foi impossível construir aquedutos ou esgotos.

MateraGruta
Casa escavada na rocha (foto http://clothespeggs.blogspot.it)

Ao longo dos anos, algumas casas foram abandonadas, muitas foram utilizadas como casas pelos  mais pobres – os “sem terra” da época – ou transformadas em abrigo para gado.

A degradação da cidade chegou até o ano 1952, quando o governo proibiu aos  quase 18.000 moradores de ficar no centro da cidade, oferecendo novas construçoes nos arredores. Durante 15 anos os antigos Sassi foram evacuados e ficaram completamente abandonados, tornando-se uma cidade fantasma.

Em 1986 uma nova lei financiou a recuperação dos bairros antigos de Matera.  Em 1993 os Sassi di Matera foram tombados pela UNESCO. Muitas casas escavadas na rocha foram cuidadosamente recuperadas, preservando o seu carácter original.

le_grotte_della_civilt_3
Hospedagem em uma caverna (http://clothespeggs.blogspot.it)

Algumas das casas ou das antigas igrejas foram transformadas em hoteles ou restaurantes.

BasilicataCuriosidades

* Os Sassi di Matera foram escolhidos para o controverso filme de Mel Gibson A Paixão de Cristo. O cineasta, antes de conhecer Matera,  tinha visitado lugares na Tunísia, Marrocos, Novo México e Turquia. Quando chegou em Matera se entusiasmou: “Algumas partes da cidade tem dois mil anos, elas são semelhantes à paisagem que provavelmente existia na Judéia… A primeira vez que vi Matera, eu enlouqueci, porque era simplesmente perfeita!”. A história de Matera é cheia de eventos cinematográficos famosos: mais de quarenta filmes foram realizados por cineastas, como Pier Paolo Pasolini (O Evangelho segundo São Mateus, 1964) e Alberto Lattuada.

* Matera foi a primeira cidade do Sul da Italia a se rebelar contra a opressão da ocupação nazista, o dia 21 de setembro de 1943.

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *