Bellini, Negroni e Americano, um trio de coquetéis todo italiano

Estes três coquetéis, famosos e bebidos em todo o mundo, nasceram na Itália, mas nem todos conhecem a história deles. Poderia parecer apenas uma curiosidade, mas isso também faz parte do Made in Italy.

valentine-bellini-cocktail
Bellini (foto planningpretty.com)

Bellini – O Bellini, cujo ingrediente principal é o pêssego branco, foi inventado em 1948 por Giuseppe Cipriani, proprietário do Harry’s Bar em Veneza. Por causa da sua cor rosada, que lembrou ao Cipriani a cor da toga de um santo numa pintura de Giovanni Bellini (pintor italiano de 1800), ele chamou o coquetel de “Bellini”. A bebida tornou-se uma especialidade do Harry’s Bar em Veneza, um dos locais favoritos por Ernest Hemingway, Sinclair Lewis e Orson Welles. Mais tarde, se tornou muito popular também na sede do Harry’s Bar em Nova York.

peach_pêssego
Pêssego branco (foto bigworldsmallkitchen.com)

Mesmo nessa época, um empresário francês estabeleceu uma rota comercial para o transporte da polpa de pêssego branco entre as duas cidades e o coquetel se tornou um clássico.

O Harry’s Bar (Calle Vallaresso, n° 1323, San Marco, Veneza) foi fundado em 1931 por Giuseppe Cipriani. O nome derivou daquele de um jovem estudante americano, Harry Pickering, que tinha-se mudado para Veneza nos anos 20 com uma tia, para tentar se curar de um início de alcoolismo. Infelizmente, o moço foi abandonado pela tia, após uma discussão, com muito pouco dinheiro. Giuseppe Cipriani, naquele período barman no hotel onde estava hospedado o americano, condoído-se da história dele, emprestou ao jovem 10.000 Liras (soma considerável para a época), para lhe permitir voltar ao seu país. Alguns anos mais tarde, o jovem, recuperado-se do alcoolismo, voltou para Veneza e, reencontrado o Cipriani, em sinal de gratidão, deu-lhe de volta o valor integral mais outras 30.000 Liras, para que ele pudesse abrir seu próprio local. O Cipriani, então, decidiu chamá-lo de Harry’s Bar, em homenagem ao seu benfeitor, inaugurando sua actividade no dia 13 de Maio de 1931.

cocktail_coquetel_americano
Americano (foto Panella)

Americano – Há vários contos que acompanham a sua históriado e o mais antigo cita o Americano em 1860, inventado no Gaspare Campari’s Bar em Milão. Segundo uma outra história, nasceu na decada de 30 e, no início, foi chamado de “Milano-Torino”, simplesmente porque os dois principais ingredientes são produzidos nas duas cidades italianas.

O nome foi mudado mais tarde, após o sucesso de Primo Carnera, boxeador chamado de O Americano, após uma grande vitória em Nova York, prêmio, na época, considerado inalcançavel para um italiano.

Aperitivo_Milao
Camparino in Galleria em Milão (foto: viamontenapoleone.org)

O Gaspare Campari’s Bar hoje se chama Camparino in Galleria e fica em Milão na Galleria Vittorio Emanuele, perto de Piazza Duomo. Foi aberto em 1867, por Gaspare Campari, fundador da famosa empresa italiana de bebidas Campari.

Negroni – Negroni foi inventado em Florença em 1919-1920, pelo Conde Camillo Negroni. Nos anos 20, ele frequentava o aristocrático Café Casoni, na antiga Via de’ Tornabuoni em Florença e, cansado do habitual aperitivo Americano, pediu para o barman Fosco Scarselli, uma pouco de Gin em substituição ao Seltz, em honra das suas recentes viagens para Londres.

negroni_coquetel_cocktail
Negroni (foto harrysbarfirenze.com)

Assim nasceu o Americano à moda do Conde Negroni, ou seja um Americano com uma adição de Gin. Hoje, este coquetel é considerado um dos mais famosos aperitivos italianos e, em todo o mundo, é conhecido simplesmente como Negroni.

O Café Casoni agora se chama Caffé Giacosa (Via della Spada n° 10, Florença) e é de propriedade de Roberto Cavalli, o famoso estilista.

Caffè Giacosa em Florença
Caffè Giacosa em Florença (foto Caffè-giacosa-blog-wega.it)

Ingredientes para preparar os três coquetéis

Bellini: 10,5 cl de Prosecco ou vinho espumante extra dry – 4,5 cl de suco de pêssego – meio pêssego fresco, de preferência branco.

rossini_4bp
Rossini, com fresas (foto 4bp)

Variantes do Bellini
Bellini Royale, com champanhe em vez de Prosecco
Bellini não-alcoólico, com Soda em vez de Prosecco
Mimosa, com suco de laranja em vez de pêssego
Tiziano, com suco de uva
Puccini, com suco e polpa de tangerina
Rossini, com suco e polpa de morango
Tintoretto, com suco de romã

Americano: 3 cl de Campari – 3 cl de Vermut Rosso – um pouco de Soda

Negroni: 3 cl de Gin – 3 cl de Bitter Campari – 3 cl di Vermut Rosso doçe – meia fatia de laranja

 

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *